Voar, voar: o Vidigal, o parapente e a descoberta de Cabral

Em meio aos diversos benefícios que a pacificação trouxe ao Vidigal, há alguns efeitos colaterais. Um deles é a sensação, para boa parte da imprensa, de que o morro foi descoberto por Cabral. Não o Pedro Álvares, de 1500, mas o governador, mesmo. Existia, sim, vida anterior à UPP. Ao contrário do que muitos veículos publicam, a trilha para o Morro Dois Irmãos não estava tomada pelo tráfico. Não havia alguém na porta com uma arma impedindo a subida, tampouco os trilheiros que subiram para o topo encontravam cadáveres ou pessoas armadas lá em cima.

Markus Fiedler - Parapente - Vidigal - Dois Irmãos

Markus Fiedler se prepara para saltar do Dois Irmãos. Foto: Andreas Wielend

Uma matéria recente de O Globo, por exemplo, intitulada Com a Zona Sul entre os Pés, publicada no blog Radicais, comemora o feito da primeira pessoa a registrar um salto de parapente do Morro Dois Irmãos. O carioca Pedro Aires não foi o primeiro. Antes dele, o alemão Markus Fiedler saltou pelo menos três vezes de lá, com a ajuda do pessoal da Casa Alto Vidigal. O feito, registrado em fotos e vídeos, foi realizado no carnaval de 2011.

Não se trata, exatamente, de estabelecer recordes, mesmo porque anteriormente muitos já fizeram o mesmo com ou sem registro, como o próprio autor do post cita em exemplos. A grande questão é mostrar que o Vidigal não começou a existir como atrativo cultural e turístico depois de 13 de novembro de 2011.

Anúncios