Musical de Sérgio Ricardo tem pré-estreia no Vidigal

Alguns moradores, uma prefeitura corrupta, um terreno cobiçado. Muito amor: de homem para mulher, de mulher para bandido, de bandido para comunidade. De comunidade para comunidade. Com todos estes retalhos, Sérgio Ricardo compôs uma bandeira. Ou melhor, um musical.

Bandeira de Retalhos - Nós do Morro - Sergio RicardoBandeira de Retalhos ficou na gaveta por alguns anos. Especificamente, desde 1979, data da vitória definitiva dos moradores do morro do Vidigal contra a remoção de seus barracos. Essa é a história contada pelos 21 atores em cena, que em meio a 13 canções contextualizam a luta de uma comunidade que não se rendeu “às ameaças do rei”.

Mais do que um simples espetáculo, com lindo cenário e direção primorosa de Guti Fraga e Fátima Domingues, o musical é, por si só, um acontecimento histórico. É a construção da memória pela memória.

Sérgio Ricardo e Guti Fraga entre o elenco

Divisão de águas
Guti e Sérgio têm uma trajetória em comum: ambos mudaram-se para o Vidigal em meados dos anos 1970, quando o tráfico ainda não havia tomado conta do morro. Nesta época, a ladeira do Tambá, hoje Avenida Presidente João Goulart, era uma espécie de república de artistas. De Gal Costa a Lima Duarte. De Cazuza ao próprio Sérgio.

Aos poucos, ambos partiram para a ação social. O compositor, que morava do lado do “IPTU” solidariarizou-se com os moradores ameaçados de remoção, chegando a morar em um barraco em frente à famosa birosca da Conceição, no 314 e sendo ele mesmo personagem atuante na luta. Guti também enveredou-se pelo trabalho social, e em 1986 fundou o Nós do Morro, também um veículo de resistência, esta cultural.

Sérgio Ricardo e Armando de Almeida Lima na “sede” da Associação dos Moradores

O que os 50 convidados presentes na sede do Nós do Morro presenciaram na noite de quinta-feira foi o encontro de duas histórias que formaram um novo Vidigal.  Emocionado, Guti descreveu o momento como um “divisor de águas”. Sérgio estava radiante com a recepção do público. Armando de Almeida Lima, presidente da Associação dos Moradores na época, relembrou: “eles não mandaram um caminhão de mudança nos buscar. Mandaram caminhões de lixo”.

Bandeira de Retalhos fica em cartaz no Casarão do Nós do Morro até dia 24 de junho, sextas e sábados às 21h. Domingos, às 20h00. Em seguida, entra em cartaz dia 29 de junho no Planetário da Gávea

.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios